Saiba tudo sobre o CID 10 e como acessar facilmente

A CID 10 foi desenvolvida em 1992 para auxiliar o rastreamento de estatísticas de morbidade e mortalidade a níveis mundiais, tem sido cada vez mais utilizada por profissionais da saúde, possuindo atualização anual e uma nova versão publicada a cada três anos.  Aqui nós separamos tudo que você precisa saber sobre ela, inclusive, como pode acessar de seu celular.

O que é CID 10

O Cid é uma lista usada para classificar e determinar as doenças. Bem como suas causas, sinais, sintomas e queixas, além de anormalidades e circunstâncias para ferimentos.

Ela é publicada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e revisada de forma periódica para sempre ser otimizada.

O numeral que segue a sigla CID se refere a versão mais atual, que neste momento é a 10ª e uma nova versão está prevista para 2022.

Qual o objetivo do CID 10?

O principal objetivo da lista é criar uma padronização de códigos para as doenças, de forma mundial, para que sejam reconhecidas em qualquer lugar.

Além da padronização, a Organização Mundial da Saúde criou o CID para monitorar a predominância de doenças no mundo. Assim como queixas, sinais e sintomas, circunstâncias sociais e causas externas.

Além do monitoramento mundial, o código também ajuda a verificar a incidência por região, proporção de pessoas que contraíram determinada doença, além de facilitar pesquisas relacionadas a essas enfermidades.

Através do código é possível saber a taxa de morbidade e mortalidade, assim como a proporcionalidade de pessoas de determinada população afetadas.

Quem usa o CID?

A lista é usada por diversos profissionais da saúde, como médicos, gestores em saúde, seguros de saúde, empresas e organizações de pacientes.

Como descobrir os códigos do CID?

Ninguém espera que você tenha esses códigos salvos de cabeça, portanto veja como pode acessar a tabela em seu smartphone ou computador. 

Neste site você pode pesquisar pelo nome ou pelo código da doença:

https://www.cid10.com.br

Aqui você pode baixar o aplicativo para o seu smartphone:

Android 

iPhone

O código deve ser colocado no atestado médico?

Na verdade, o CID só deve estar no atestado com autorização expressa do paciente, segundo a resolução do CFM. Assim, não há obrigatoriedade de o código estar presente no atestado e precisa de autorização para isso.

Assim, o empregador não pode exigir e o médico não deve incluí-lo sem que o paciente queira.

Para as guias de procedimentos médicos, o Conselho Federal de Medicina, em sua resolução nº 1.819, define que o código não deve ser utilizado. Bem como o convênio médico não pode exigir a CID específica em relação a reembolsos de procedimentos.

Quando a CID 11 entra em vigor?

Em maio deste ano, 2019, a CID 11 foi apresentada para os estados membros na Assembleia Mundial de Saúde. A nova está prevista para entrar em vigência a partir de 1 de janeiro de 2022.

A nova versão pretende facilitar o uso da tabela para diversos idiomas, através da plataforma de tradução central.

A nova versão promete a facilidade no uso, pois é totalmente eletrônica e contou com a participação de diversos profissionais de saúde em seu desenvolvimento.  

Dentre as novidades no CID 11, estão a abordagem da medicina tradicional, que até então não era classificada, mesmo que utilizada em diversos lugares do mundo.

O que era antes tratado como “transtorno de identidade de gênero” passa a ser “incongruência de gênero”. Sairá do capítulo que trata de doenças mentais para o de doenças sexuais.

Isso aconteceu para diminuir a discriminação. No entanto não saiu totalmente da tabela porque existe a necessidade de tratar de demandas específicas da população transgênero.

Assim, a CID 10 ainda deve receber algumas atualizações até 2022, quando a CID 11 entra em vigor. 

Veja também:

Para mais conteúdos como este, acesse nossas redes sociais

Facebook

Instagram