O que é lucratividade? Saiba como avaliar o seu consultório!

A medicina é a carreira com a maior remuneração no Brasil, de acordo com a FGV. Mas também é aquela que registra as maiores jornadas de trabalho: 52 horas semanais para um salário médio mensal de quase R$ 9 mil. Para cada hora de trabalho, um médico recebe, em média, R$ 41,73.

No ranking, o economista é o quarto em remuneração (R$ 7 mil) e o 19º em jornada de trabalho (45 horas semanais), alcançando, assim, o segundo melhor salário por hora (mais de R$ 40,00). Ou seja, é possível ter um desempenho financeiro melhor mesmo com menos tempo de dedicação.

É a eficiência que determina esses resultados. Para tornar seu consultório mais eficiente e rentável financeiramente, é preciso conhecer o que é lucratividade. Confira porque ela é tão importante para o seu empreendimento!

Por que seu consultório precisa ser lucrativo?

É evidente que um médico tem propósitos profissionais muito distintos de um economista. No entanto, há algo em comum quando tratamos da questão financeira: ambos precisam fazer com que suas atividades deem retorno sobre seus investimentos.

Toda a estrutura de um consultório, assim como toda a estrutura de um escritório, incluindo seus equipamentos, depende de investimento. Além disso, o tempo dedicado à atividade profissional também é um contributo importante – nesse caso, trata-se de um bem de valor intangível.

Você se dedica à medicina por amor pela profissão, mas para isso abdica de uma série de outra coisas de sua vida que também dependem da sua atenção, como recursos financeiros e tempo. Nada mais justo que esse esforço seja recompensado.

Há, no entanto, outros fatores que tornam a lucratividade tão importante. Pense que se você obtiver um retorno modesto sobre suas atividades, de modo que o faturamento obtido seja suficiente apenas para bancar os custos e a sua remuneração, você está operando no zero a zero. Portanto, seus investimentos e horas de trabalho estão pagos.

Como fica, então, a atualização das suas instalações, o aprimoramento profissional e a remuneração do capital que você investiu no negócio? Se nada disso está sendo observado, então você tem um empreendimento estagnado. Essa tende a ser a característica de consultórios em que a atenção à gestão é negligenciada.

Ao precificar os seus serviços, todos esses aspectos têm que ser observados: a remuneração adequada para que você arque com todas as suas despesas pessoais e alcance uma qualidade de vida melhor, bem como suas contribuições para o consultório.

Além disso, é preciso direcionar algum percentual dos ganhos para uma reserva, que será utilizada em face de imprevistos ou para sustentar todas as obrigações, mesmo que o faturamento em determinado mês seja inferior ao esperado.

Como avaliar o seu lucro?

Lucro é um conceito que praticamente todos os empreendedores conhecem. Basta subtrair as despesas do faturamento para ver o quanto sobra. Se o valor restante for positivo, você obteve lucro. Se for negativo, prejuízo. Certo? Certo, mas não tão simples assim.

Antes de mais nada, é preciso mensurar bem as contas a pagar e a receber para só então partir para o cálculo. Muitos empreendedores, ao calcularem seus lucros, percebem que na prática, o resultado não condiz com os cálculos feitos. De modo geral, essa distorção ocorre por falhas na gestão dos custos.

Se os custos e despesas não forem todos elencados, possivelmente a apuração do lucro ficará comprometida. Vamos detalhar o que é necessário avaliar nesse aspecto:

1. Custos do serviço

O que tem que ser verificado aqui são todos os gastos para execução do serviço, como mão de obra (seu tempo de trabalho) e materiais, por exemplo.

2. Despesas fixas

Aqui o que será analisado são os gastos mensais para manutenção do consultório: aluguel, folha de pagamento, pró-labore (a sua remuneração mensal), contas de telefone, luz e água, entre outros.

3. Despesas variáveis

Precisam ser considerados despesas variáveis, sobretudo no caso dos consultórios, materiais que são mais ou menos adquiridos de acordo com a demanda da prestação de serviços. Gases, agulhas e esterilização são alguns exemplos. Em um período com poucos pacientes na agenda, essa despesa será menor.

Agora sim, podemos partir para o cálculo do lucro bruto e do lucro líquido:

Lucro Bruto

O lucro bruto é o cálculo mais comum utilizado pelos empreendedores. A operação consiste em subtrair os custos dos serviços das receitas (faturamento). Um consultório com receita de R$ 25 mil para custos de R$ 15 mil obtém um lucro bruto de R$ 10 mil.

Lucro Líquido

Para saber qual é o lucro líquido, será necessário primeiro somar as despesas fixas e as despesas variáveis. Depois subtrai-se o valor das despesas do lucro bruto. Considerando o exemplo anterior, dos R$ 10 mil de lucro bruto obtido, descontando as despesas de R$ 6 mil, restam R$ 4 mil de lucro líquido. Dentro do lucro líquido você deverá medir e analisar quanto você poderá tirar de salário. Nem sempre todo o lucro do seu negócio servirá para pagar o seu pró-labore. Você deve reservar uma parte do lucro para fazer um caixa (uma poupança) para a sua empresa, seja ele voltado para investimentos ou para emergências.

O que é lucratividade?

A lucratividade é diferente do lucro. Este, como vimos, demonstra se o resultado financeiro do negócio é positivo ou negativo. Ou seja, se depois de consideradas todas as despesas, haverá alguma sobra no caixa.

Na lucratividade, o que se avalia é o percentual de ganho obtido sobre os serviços prestados. Ou seja, aponta a eficiência do seu consultório. O cálculo é o seguinte:

Lucratividade = lucro líquido / faturamento x 100

Utilizando o resultado obtido no exemplo anterior, temos:

Lucratividade = 4.000 / 25.000 x 100

Lucratividade = 16%

Esse percentual indica quanto do seu faturamento deverá ser convertido em lucro. No caso apresentado, para cada R$ 100,00 faturados, o lucro, de fato, será de R$ 16,00. Quanto maior for a lucratividade mais próspero seu consultório será.

Por que a lucratividade é tão importante?

A partir da avaliação da sua lucratividade, é possível fazer uma análise mais correta dos seus ganhos e custos. Dessa forma, você conseguirá identificar se o seu problema de caixa ocorre porque as receitas são inferiores ao necessário ou se os gastos estão elevados, prejudicando o resultado final.

Em decorrência dessa avaliação é possível traçar estratégias variadas para tornar seu consultório mais lucrativo, como, por exemplo, aumentar a captação de clientes, reduzir custos ou adotar novas práticas de gestão.

Agora que você já sabe mais sobre como avaliar a lucratividade do seu consultório, compartilhe essas dicas nas suas redes sociais!