Gestão hospitalar: como montar o corpo clínico ideal?

Montar o corpo clínico ideal é um dos grandes desafios da gestão hospitalar. Afinal de contas, o processo demanda alta complexidade estratégica para identificar carências e oportunidades, anunciar, entrevistar e selecionar o candidato.

Principalmente, porque o escolhido deve concentrar habilidades e conhecimentos específicos e, ainda, ter muito a ver com a missão e os valores de sua clínica. O processo de recrutamento realmente é longo, cheio de detalhes e contínuo, pois é recomendável manter um olhar interessado nas oportunidades de mercado.

Por isso, neste post vamos falar um pouco mais sobre essa jornada para que você monte um corpo clínico impecável e que contribua qualitativamente na gestão do seu consultório. Confira!

A importância em encontrar os candidatos ideais

Como vimos, na abertura deste artigo, o processo de recrutamento não é uma simples atividade de divulgação e seleção. O profissional mais indicado para os cargos em aberto na sua clínica deve possuir qualidades técnicas e pessoais que estejam alinhadas às suas expectativas e sejam necessárias para conduzir o seu negócio em alto nível.

Ou seja: um profissional capacitado, mas desleixado em manter um bom relacionamento com o paciente, não possui os requisitos para garantir um atendimento impecável, no fim das contas. Daí a importância em conhecer profundamente a realidade de sua clínica e compreender como cada profissional vai contribuir para o seu desenvolvimento.

O processo para montar o corpo clínico ideal

Ainda que você tenha necessidades particulares para a contratação de cada tipo de profissional, a essência do processo é a mesma, basicamente. Um caminho que se baseia no seguinte percurso:

Características da vaga e do profissional

Tudo tem início com a oportunidade que você abre em sua clínica médica ou consultório, expondo as atividades pertinentes ao cargo.

Por exemplo: você deve saber as responsabilidades de sua equipe da recepção e também de outros cargos específicos, como radiologistas e outras áreas técnicas.

Em seguida, deve identificar quais qualidades o candidato precisa ter para desenvolver um trabalho surpreendente em sua empresa. Isso inclui:

  • capacidades necessárias;
  • experiências anteriores;
  • perfil comportamental.

Para o devido conhecimento das pessoas que vão se aplicar à vaga, você deve esclarecer todas as questões pertinentes ao cargo, como as tarefas a serem desenvolvidas, responsabilidades, remuneração e os meios para que se candidatem, como telefone e e-mail, entre outros.

Divulgação das oportunidades para montar o corpo clínico

Agora que você já tem descrito, no papel, o que buscar em um candidato para atuar sob a sua liderança, é hora de divulgar a oportunidade. Para isso, recomendamos algumas ideias:

  • divulgue a vaga em murais e sites de associações de classe;
  • empresas que sejam especializadas em recrutamento;
  • classificados em sites especializados em anúncios ou nos classificados;
  • espalhe a oportunidade para colegas e amigos de profissão que possam recomendar bons candidatos;
  • grupos específicos nas redes sociais, como o LinkedIn ou mesmo o Facebook.

Tenha em mente que você deve divulgar de todas as maneiras acima citadas ou escolher as mais apropriadas. Vale lembrar que, quanto mais você divulgar, mais retorno pode ter — o que também pode tornar a seleção mais desafiadora e demorada.

A triagem inicial dos seus candidatos

Essa etapa consiste, basicamente, em filtrar os melhores currículos entre todos aqueles recebidos pelos meios de divulgação utilizados. É a hora de usar um método comparativo entre as expectativas e exigências para o cargo, e o quanto os candidatos parecem estar alinhados a esses aspectos.

Uma dica: embora não exista um número mínimo ou máximo de candidatos para a etapa seguinte — de entrevistas —, tenha em mente que o processo será mais longo e complexo à medida que você selecionar um número grande de currículos.

Por isso, escolha apenas os candidatos ideais para formar o corpo clínico. Posteriormente, separe um bom número de currículos para dar volume ao seu banco de talentos. Isso ajuda a facilitar a busca por profissionais diante da necessidade em abrir novos processos seletivos.

A entrevista com os principais candidatos selecionados

Essa pode ser a primeira etapa presencial em que você vai conhecer os profissionais que passaram pela triagem. Nela, aproveite para conhecer cada um deles, questionando-os sobre:

  • experiências profissionais que tiveram;
  • aspectos que os motivaram a se candidatar à oportunidade;
  • o que os profissionais buscam, em suas carreiras;
  • o que eles podem trazer, em suas bagagens, para contribuir com o crescimento da empresa;
  • o perfil comportamental da pessoa, e como ela reagiria às diversas situações no ambiente profissional.

É o momento de explicar melhor sobre a oportunidade e o que você procura nos profissionais que vão montar o seu corpo clínico.

Aproveite para observar a postura, o modo de falar e a maneira que eles se comportam ao longo da entrevista. Isso ajuda a traçar um perfil completo dos profissionais, facilitando a escolha. Entre outros detalhes que podem ser analisados, como:

  • agilidade e adaptação;
  • comunicação;
  • cordialidade;
  • organização;
  • pró-atividade;
  • sociabilidade.

É importante pensar que o candidato não é o único que deve impressionar na entrevista: você também deve encantá-lo com a oportunidade, mostrando que ele pode ingressar em um ambiente de aprendizado e contínuo desenvolvimento — pessoal e profissional.

Afinal de contas, um local de trabalho pouco estimulante e incapaz de desafiar o profissional a evoluir vai despertar pouco interesse dos candidatos. Então, a busca pelo corpo clínico ideal é um intercâmbio de expectativas e promessas que devem ser cumpridas.

A contratação do corpo clínico

Por fim, você deve retomar os currículos e as anotações realizadas ao longo das entrevistas para tomar a sua decisão. É até mesmo possível chamar os favoritos para um segundo diálogo, em que você pode fazer perguntas mais específicas e fazer uma nova filtragem.

Assim que as contratações são definidas, é importante contar com um procedimento padrão de adaptação e treinamento dos novos profissionais. Isso ajuda tanto na integração deles, quanto no alinhamento aos níveis de exigência e qualidade esperados — como o relacionamento pós-consulta que você faz questão de ter em sua clínica ou consultório.

Com isso, você vai ter em mãos todo um processo desenvolvido para selecionar o corpo clínico ideal para o seu negócio. Agora, para complementar o que falamos aqui a respeito de construir um ambiente profissional de qualidade, confira também nossas dicas para você fazer sua carreira ou clínica ter mais notoriedade no mercado!