Como planejar a gestão clínica para 2018?

Profissionais do setor de saúde que assumem o seu lado empreendedor podem achar que é fácil gerir um negócio próprio. No entanto, é possível que eles logo descubram que a gestão clínica diária envolve muito mais do que o conhecimento técnico para exercer a profissão.

Afinal de contas, por trás de um bom atendimento e de uma agenda impecável e disputada, estão os processos administrativos. E muitos encontram desafios múltiplos para manter em equilíbrio a qualidade no serviço prestado e a gestão clínica.

Para minimizar a dificuldade desses obstáculos, neste artigo, nós vamos entender melhor a relevância de um bom planejamento. Além disso, temos algumas dicas para você aperfeiçoar continuamente a sua gestão clínica. Confira!

A relevância de planejar a gestão clínica é notável

É hora de dar um sentido organizacional à sua clínica médica ou consultório? Então o planejamento deve começar por meio de um diagnóstico completo a respeito do seu negócio.

Isso significa a avaliação de toda a sua gestão de processos, da totalidade de custos (fixos e variáveis) e dos recursos disponíveis para quitá-los. Isso ajuda a colocar a sua gestão clínica sob uma lente microscópica que vai identificar gargalos produtivos e oportunidades.

Uma boa maneira para chegar a essas conclusões é dividindo o planejamento em 3 segmentos:

  • estratégico: é o alinhamento da missão e dos valores de sua clínica em todas as tarefas do dia a dia;
  • tático: são as projeções em curto, médio e longo prazos, comparando resultados para traçar novos objetivos e metas;
  • operacional: é o detalhamento de cada processo realizado em sua clínica, o que permite eventuais ajustes para tornar o atendimento mais eficaz e ágil.

Com esse planejamento inicial, você pode focar individual ou simultaneamente nas mudanças detectadas. Assim, as etapas seguintes de sua gestão clínica são mais bem avaliadas e ajustadas.

O cuidado com a elaboração de sua agenda é importante

A agenda é um dos principais aliados do profissional de saúde. Por meio dela é que o cronograma diário é definido e os atendimentos são organizados para manter a pontualidade.

Entretanto, de nada adianta ter uma agenda em que não exista integração de informações. Em uma época na qual o mundo digital converge com a nossa rotina, uma solução tecnológica é fundamental.

Pense, por exemplo, nos problemas em atualizar agendas de papel quando um paciente cancela ou reagenda sua consulta. Daí a importância de um sistema informatizado ao qual todos os envolvidos tenham acesso e em que as alterações sejam atualizadas em tempo real.

Organizá-la, no entanto, é um esforço coletivo que independe de tecnologia. Você deve saber uma média aproximada para cada atendimento, montando um limite de consultas por dia. Assim, há tempo para todos serem atendidos sem riscos de atrasar e prejudicar a experiência dos seus pacientes.

A tecnologia é aliada do seu corpo clínico

Além de uma agenda digital, a gestão clínica pode ser facilitada por outros softwares que ajudam em processos administrativos. É o caso, por exemplo, de um sistema de cadastro dos pacientes que seja capaz de automatizar informações diversas — como o histórico de cada um — para facilitar a busca por registros. Entre outras funcionalidades úteis, como:

  • organização e disposição dos preços de cada serviço de sua clínica ou consultório;
  • elaboração de relatórios;
  • revisão de prontuários;
  • análise de formas de pagamento e manutenção de uma comunicação integrada com convênios.

Isso tudo permite que todos os setores do seu empreendimento se comuniquem com mais fluidez e conveniência. Como resultado, todos têm a ganhar — inclusive, os pacientes, que serão sempre atendidos no horário e com agilidade.

As contas em dia facilitam a gestão clínica

Conhecer a saúde financeira do seu negócio é crucial para garantir longos anos de vida a ele. E isso significa manter em monitoramento todas as despesas e receitas geradas, ao longo do mês, para evitar imprevistos e montar um fluxo de caixa.

Assim, por mais que a sua clínica tenha atendido menos do que o esperado, em determinado período, o fluxo de caixa permite que você lide com as contas sem terminar o mês no vermelho.

Outro ponto a ser observado, nessa questão, é a organização das contas a pagar e a receber, separando-as. Com isso, é possível analisar os gastos supérfluos, as possibilidades de investimento e também o quanto você vai receber em cada mês — especialmente, em casos de pagamentos parcelados.

Ter meses à frente já analisados faz com que a sua gestão clínica seja menos imprevisível. Assim, os custos são reduzidos e as oportunidades de investimento surgem com mais frequência.

O atendimento personalizado faz parte de sua gestão clínica

Além dos processos burocráticos e administrativos, a gestão clínica também é composta pelo nível de excelência no atendimento. Afinal de contas, por mais que uma consulta pontual seja atrativa para o paciente, a relação dele com o médico de sua confiança é ainda mais relevante.

Para isso, priorize a qualidade desse relacionamento por meio de um atendimento personalizado e bastante focado no conceito humanizado de lidar com o paciente. Algo que pode ser feito com consultas mais longas e detalhadas, nas quais o médico ouve atentamente os problemas do paciente, ou com o auxílio tecnológico que já mencionamos.

Nesse caso, é possível coletar dados cadastrais dos pacientes e oferecer alguns diferenciais qualitativos na relação com eles. Você pode enviar lembretes — por e-mail ou SMS — de consultas, parabenizá-los em datas comemorativas ou mesmo recordá-los de que faz um tempo desde o último exame feito por eles.

Isso, sem dúvidas, ajuda a construir uma base sólida para o seu empreendimento, e que pode ser complementada por pesquisas de satisfação. Por meio delas, você compreende os acertos e descobre onde pode melhorar o relacionamento com os pacientes.

Isso tudo ajuda a conectar mais os médicos e os clientes, o que é um caminho mais prático e eficiente para a fidelização. E que, consequentemente, também ajuda na gestão clínica para organizar o dia a dia e ter toda a rotina diagnosticada e imune a todo tipo de contratempo.

E aí, o que achou de nossas dicas para ter uma gestão clínica impecável para o ano de 2018? Agora, para não perder mais nenhuma de nossas novidades, siga-nos no Facebook e no Instagram e fique por dentro de muitas outras dicas relevantes como essas em primeira mão!